Home » Museu PIO XII » Galeria Henrique Medina

Galeria Henrique Medina

Sobre Henrique Medina

Henrique Medina de Barros nasceu no Porto, na freguesia de Cedofeita, a 18 de agosto de 1901.

Levado pelas mãos da avó, com 10 anos de idade começou a frequentar a escola de Belas Artes, no Porto.

Sete anos mais tarde, em Lisboa, na Sociedade Nacional de Belas Artes, apresentou o retrato da pintora Teodora Andresen, o que lhe valeu a 2ª medalha.

Aos 19 anos seguiu para Paris, ingressando na “école des Beaux-Arts”. Permaneceria na capital francesa durante sete anos.

Os convites que consecutivamente foi recebendo levaram-no depois a pintar em Inglaterra, Itália, Brasil, Argentina, Suécia, Dinamarca, Estados Unidos, País de Gales, e Espanha.

Nesses países e em Portugal, pintou figuras icónicas como Mussolini, General Justo, Charlie Chaplin, Mary Pickford, Linda Darnel, Papa João Paulo II, Oliveira Salazar, Óscar Carmona, Sidónio Pais, os príncipes Doménico Orsini e Giovanni Torlonia, …

Na primeira vez que expôs no “Salon des Artistes Français” obteve uma menção honrosa, e foi colocado “on the line” na Royal Academy, em Londres.

Passou os últimos anos de vida em Góios, concelho de Esposende, onde viria a falecer em 30 de novembro de 1988.

Recebeu, entre outras, as seguintes condecorações:

- Cavaleiro da Ordem de Cristo (1938);

- Medalha de Honra e de Ouro da cidade do Porto (1939);

- Cavaleiro da Legião de Honra Francesa (1955);

- Grande Oficialato da Ordem de São Tiago e Espada (1969);

- Medalha de Mérito da Classe de Ouro da Academia de Belas Artes de Lisboa (1982);

- Grã-cruz da Ordem do Infante D. Henrique (1984);

- Comendador da Ordem de São Gregório Magno – classe civil (1984).

 

Sobre Museu Medina

Em 1984, o pintor Henrique Medina doou à Arquidiocese de Braga uma significativa parte da sua obra, num conjunto de 52 telas e 21 desenhos.

Nos finais do séc. XX e inícios do séc. XXI, o edifício do Seminário, onde se inseria a exposição dessas obras e o Museu Pio XII, foi completamente remodelado.

Na inauguração deste “novo Museu”, em 5 de dezembro de 2002, destinou-se uma generosa galeria para expor somente a obra do insigne pintor – o Museu Medina.

No Museu Medina encontram-se trabalhos de várias técnicas: desenhos a pena e aguada, a lápis e aguarela, a lápis e grafite, a sanguínea e grafite com aguada, a aguarela e, principalmente, a óleo sobre tela.

As obras exibidas abrangem as diferentes temáticas características do mestre Medina – naturezas mortas, ambientes íntimos e familiares, paisagens e, claro, retratos. Aliás, ao visitar a galeria pode descobrir, numa fotografia do pintor, a sua inspiração para as suas paisagens minhotas: a Azenha do Mirante.

Até ao momento a galeria foi enriquecida com três magníficas telas e encontra-se também em restauro um dos seus primeiros retratos, pintado na década de 20. Este pequeno retrato foi anos mais tarde retocado pelo próprio pintor. Brevemente estará patente no Museu Medina.

Deixe um comentário